sexta-feira, 27 de abril de 2012

Região Serrana do Espirito Santo ES

Penedo (Vitória)

 
Nas montanhas do Espírito Santo temos municípios que fazem parte das seguintes rotas: do Mar e das Montanhas, dos Vales e do Café, da Costa e da Imigração, Caminhos do Imigrante, do Caparaó e Rota Imperial. Entre as cidades localizadas nessas rotas, destacam-se Domingos Martins, Marechal Floriano, Venda Nova do Imigrante, Vargem Alta, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Alfredo Chaves, Alegre e Santa Teresa.
Nesses municípios, o turista pode desfrutar do aconchego das montanhas com direito a lindas paisagens, pratos típicos e produtos do agroturismo. Quem gosta de um pouco mais de emoção, pode ainda praticar esportes de aventura como voo livre, rafting, trekking, escaladas, mountain bike, trilhas, entre outros.
A região das montanhas capixabas propõe o resgate histórico e o conhecimento de uma cultura peculiar trazida por imigrantes de distintos países. Os caminhos e a história traçados pelos imigrantes alemães e italianos são apresentados na região. Ao desbravar esse percurso, o visitante encontra cachoeiras, esportes e muita cultura.

Para ver e se divertir:


Rota do Mar e das Montanhas – Formada pelos municípios de Vitória, Viana, Domingos Martins, Marechal Floriano e Venda Nova do Imigrante. Aqui, destacamos:

Domingos Martins


A herança deixada pelos imigrantes alemães e também italianos é marcante na arquitetura e na culinária de Domingos Martins. O município, que acolhe os visitantes com um clima extremamente agradável, foi considerado pela Revista Quatro Rodas como um dos três melhores do mundo. A temperatura máxima é de 18 graus.
Atrativos turísticos
Eventos não faltam no calendário do município. Entre os mais famosos estão a Sommerfest, Festa da Imigração Alemã; Encenação da Paixão de Cristo, em Santa Isabel; Corpus Christi, em Paraju; Festival Internacional de Inverno; Encontro Internacional do Vinho e Festa do Morango; Pommerfest – festa pomerana em Melgaço; e Blummerfest – festa das flores.
Igreja Luterana: construída em 1866, é a primeira igreja evangélica do país a ter uma torre.
Museu Histórico e Casa de Cultura: retratam as colonizações alemã e italiana e expõem fotos, mobiliário colonial, quadros e objetos trazidos da Europa. Constam de seu acervo cartas e lembranças da visita do imperador D. Pedro II ao Estado, ligadas ao mártir Domingo José Martins.
Parque Estadual Pedra Azul: reserva natural com 1.240 hectares, compreende várias trilhas, fauna e flora bastante diversificadas. Nele está a Pedra Azul, que se destaca na paisagem com seus 1822 metros de altura. A Pedra Azul foi considerada pela ONU como o 3° melhor clima do mundo. Inclui ainda a Pedra das Flores, com 1.909m de altura e a do Lagarto.
Orquidário Kautsky: Reserva florestal, reúne 1.300 espécies de orquídeas e bromélias
Trem das Montanhas Capixabas - O trem das Montanhas Capixabas parte da estação ferroviária em Viana, passa pelo município de Domingos Martins e termina em Araguaia, no município de Marechal Floriano, em um percurso de 45 km em meio à serra do mar e com duração de mais ou menos 2h30min.

Marechal Floriano


Uma cidade cheia de histórias, que foram deixadas pelos imigrantes italianos e alemães. O município tem ótimas opções de lazer como os centros culturais e cachoeiras. A beleza das orquídeas deu a Marechal Floriano o apelido de cidade das Orquídeas. Além disso, as culinárias alemã e italiana são uma atração à parte, com seus deliciosos pratos típicos. A cultura dos povos que colonizaram o município é mantida com os grupos de dança e os corais, mostrando toda a alegria trazida por eles.
Atrativos turísticos
Igrejinha de Santo Antônio: construída de madeira em 1891 e reconstruída em 1938 com pedras e tijolos, quando ganhou o atual altar. Os moradores mais antigos contam histórias que até hoje guardam na memória.
Centro Cultural e Comunitário Ezequiel Ronchi: foi o primeiro prédio do Estado com destinação ao ensino primário público, na Vila de Araguaia, em 1939. Depois de 50 anos de uso como colégio e outras destinações, o prédio ficou praticamente abandonado. Mais tarde, a população criou o Centro Cultural, restaurando o local, que está em funcionamento desde 1995.
Cachoeira do Bem-te-vi: queda d’água com 40m de altura e 10m de largura. No local, há um jequitibá secular, medindo 50m de altura e 8m de diâmetro, com orquídeas e bromélias.
Gruta de Nossa Senhora de Lourdes: com, aproximadamente, 1,7m de altura e 4m de largura, é uma espécie de “marquise” onde os fundadores de Santa Maria dormiam no ano de 1879. A gruta guarda a estátua da Santa de Lourdes.
Orquidários: há dois no município: Nego Plantas e Florabela Orquídeas. Vale a pena visitá-los para constatar a vasta quantidade de espécies das matas ao redor da cidade.

Venda Nova do Imigrante


Em Venda Nova do Imigrante, conhecida como capital nacional do agroturismo, as propriedades produzem queijos, licores, cachaça, socol e café. O município se destaca, também, pela realização da Festa da Polenta, a maior festa da imigração italiana no Estado. O município é um refúgio para quem busca tranquilidade, lazer e diversão em meio à Mata Atlântica. Quem gosta de esportes radicais pode curtir as trilhas para jipes e motos, pedras ideais para rapel e escalada e diversas rampas para salto de asa-delta e parapente.
Atrativos turísticos
Atrativos turísticos:
Casa da Cultura: Museu com mais de 600 peças que contam a saga da colonização italiana, iniciada em Venda Nova do Imigrante em 1892.
Caxixe Frio: região de maior produção de morangos e hortaliças do Estado possui uma bela paisagem emoldurando o Pico do Forno Grande e a Pedra Azul.
Propriedades de Agroturismo: opção para conhecer o cotidiano da vida rural. As propriedades, algumas abertas à visitação, produzem queijos, licores, cachaça, socol e café. Na cidade, há também lojas de agroturismo, que fornecem informações sobre o segmento para os turistas.
Morro do Filleti: com 1.110m de altura, tem rampa para decolagem de asa-delta e parapente.
Rota dos Vales e do Café –Formada pelos municípios de Vargem Alta, Cachoeiro de Itapemirim, Muqui e Mimoso do Sul. Aqui, destacamos:

Vargem Alta


Quem chega a Vargem Alta logo entende por que os imigrantes italianos escolheram o local para morar. A região é de uma natureza exuberante e clima semelhante ao europeu. A temperatura média de 20 graus combina perfeitamente com os pães, cachaças, licores e vinhos de frutas produzidos na região. O visitante pode experimentar e acompanhar de perto a produção dessas delícias.
Atrativos turísticos:
As lojas de artesanato também oferecem uma boa variedade de produtos locais. Uma opção é conhecer a interessante fábrica de artefatos de chifres, onde são produzidos berrantes famosos em todo o país. Algumas propriedades encantam pela beleza natural, proporcionando também caminhadas por trilhas e banhos de cachoeiras: como as do Brother e a Cachoeira da Concórdia.
Mirante do Alto Formoso: com mil metros de altitude, oferece uma das vistas mais bonitas da região. Tem rampa de parapente e instrutores locais de voo livre.

Cachoeiro de Itapemirim


O município está situado no Sul do Espírito Santo, às margens do rio Itapemirim. É considerado o segundo pólo econômico mais importante do Estado, depois da Grande Vitória. Cachoeiro possui uma das maiores jazidas de mármore do Brasil e é um centro internacional de rochas ornamentais, sendo o responsável pelo abastecimento de 80% do mercado brasileiro de mármore. É também a cidade onde o cantor Roberto Carlos nasceu e viveu até os 13 anos.
Atrativos turísticos:
Casa da Cultura Roberto Carlos: onde morou o cantor. A casa reúne fotos, discos, quadros e instrumentos musicais do artista.
Casa dos Braga: considerada patrimônio histórico municipal e onde viveu o escritor Rubem Braga
Fábrica de Pios Maurílio Coelho: com mais de 100 anos de existência é especializada na produção de apitos que imitam pios de aves.
Fazenda Cafundó: considerada a maior reserva particular de patrimônio natural do Espírito Santo e a sexta maior do mundo.
Rota da Costa e da Imigração –Formada pelos municípios de Alfredo Chaves, Anchieta, Iconha, Piúma, Itapemirim, Marataízes e Presidente Kennedy. Aqui, destacamos:

Alfredo Chaves


Lugar de descanso e adrenalina. Esse contraste é a marca de Alfredo Chaves. Localizado a apenas 81 km de distância da capital, o município transmite aconchego a todos os que passam por lá. A região montanhosa permitiu o surgimento de cachoeiras belíssimas que hoje são muito utilizadas para a prática de esportes. Cachoeiras como Matilde, Iracema, Tororoma, Daroz e vovó Lúcia atraem aqueles que pretendem praticar o trekking, o off-road, e o voo livre de parapente, muito procurado por aqueles que gostam de adrenalina. Apesar de ter uma das melhores rampas de voo livre do país, a cidade também é palco perfeito para outros esportes, como o motocross, o bicicross, o rapel e as caminhadas ecológicas. Com belezas naturais e povo acolhedor, Alfredo Chaves agrada a todos os que visitam o local.
Rampa Natural de voo livre: para a prática de asa delta e parapente.
Cachoeira Engenheiro Reeve ou Cachoeira de Matilde: De rara beleza, tem 300m de trilha e queda de 70m. É a maior do Estado em queda livre.
Estação Ferroviária: Prédio tombado pelo Conselho Estadual de Cultura.
Rota Caminhos do Imigrante -Formada pelos municípios de Cariacica, Santa Teresa, Fundão, Itaguaçu, Santa Maria de Jetibá, Santa Leopoldina e São Roque do Canaã. Aqui, destacamos:

Santa Teresa


Com o codinome Doce Terra dos Colibris, Santa Teresa é uma cidade de belas paisagens, onde o contato com a natureza e o verde é a principal atração. Muitos turistas são atraídos ao local por essas características e pelas manifestações culturais dos colonizadores italianos, cujas tradições são conservadas. Cada canto do município apresenta uma particularidade: orquídeas raras em suas florestas, cachoeiras, culinária típica, vales tão extensos que se perdem no horizonte, reservas naturais, entre tantas outras atrações que fazem o lugar tão especial.
Atrativos turísticos:
Cachoeira do Country Club: distante 6 km da sede (saída por São Lourenço). Clube de campo e queda d’água de cerca de 50m.
Museu de Biologia Professor Mello Leitão: possui um pavilhão de ornitologia e de zoologia, com mais de 8.000 peles de aves, incluindo 2.000 beija-flores coletados nas Américas Central e do Sul. Possui também 1.500 exemplares de morcegos capturados nas diversas regiões do Estado, além de um acervo vivo de 150 exemplares de diversos animais, incluindo uma coleção de cobras peçonhentas. Outro espaço do Museu é o Jardim das Borboletas, repleto dessas espécies ao vivo, e a Praça do Sol com espaço ao ar livre com plantas e animais para presença de visitantes.
Capela Nossa Senhora da Conceição: localizada próximo à casa de estuque construída pelos irmãos Antônio e Virgílio Lambert. Data de 1875.
Vale do Canaã: a 1 km do centro. É todo cortado pela estrada que leva ao município vizinho de São Roque do Canaã. Esse Vale serviu de fonte de inspiração para o romance Canaã, publicado em 1902 por Graça Aranha. A paisagem é linda e lá do alto avistam-se ao longe as montanhas que cobrem o Norte do Estado, inclusive a Pedra do Camelo, no município de Pancas. Localiza-se a Cachoeira do Gazolli.
Casa dos Lambert: foi a primeira casa construída em Santa Teresa, em 1875, pelos irmãos Antônio e Virgílio Lambert. Tombada pelo Conselho Estadual de Cultura em 1985.
Orquídeas: de cerca de 650 tipos existentes no Espírito Santo, aproximadamente 500 foram descobertos em Santa Teresa.
Estação Biológica Santa Lúcia: localizada a 8 km da sede do Museu, em Valsugana Velha, foi criada por Augusto Ruschi. Em apenas um hectare, foram encontradas 476 espécies arbóreas, pertencentes a 178 gêneros e 66 famílias, número que supera não só o de outras áreas da Mata Atlântica, mas também os valores conhecidos para Amazônia e florestas tropicais de outros países. A estação Biológica é onde o cientista Augusto Ruschi está enterrado e é estudado por cientistas do mundo inteiro.
Reserva Biológica Augusto Ruschi: criada em 1948, tem uma área de 3.600 ha. Abriga aves raras e rica flora epífita, como as orquídeas.
Rota do Caparaó – Formada pelos municípios de Alegre, Jerônimo Monteiro, Guaçuí, São José do Calçado, Dores do Rio Preto, Divino São Lourenço, Ibitirama, Irupi, Iúna, Muniz Freire e Ibatiba. Aqui destacamos:

Alegre


Localizado no Sul do Estado do Espírito Santo, Alegre tem clima quente e chuvoso no verão, e seco e frio no inverno. Os italianos tiveram uma atuação significativa no desenvolvimento da cultura cafeeira e da pecuária no município, que também recebeu um importante contingente de imigrantes, principalmente italianos e libaneses. Muitas famílias italianas ainda residem na cidade.
Atrativos turísticos:
Cachoeira da fumaça: o Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça foi criado por meio do decreto n° 2.791-E (24 de agosto de 1984) e complementado através do decreto n° 4.568-E (21 de setembro de 1990), quando o então Governo do Estado, atendendo a uma demanda de moradores dos municípios de Alegre, Guaçuí e Castelo, além de outros estados da Federação, desapropriou uma área de 27 hectares, coberta basicamente de pastagem, mas que continha em seu interior a Cachoeira Braço Norte Direito ou Cachoeira da Fumaça. A cachoeira tem esse nome devido à neblina que se eleva acima da mesma.
Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha: a capela Mor de Alegre começou a ser construída em barro e madeira no ano de 1851, por iniciativa dos primeiros exploradores da região. Oficialmente, as terras do patrimônio de Alegre ficaram sobre responsabilidade da igreja com a condição de que esta doaria as terras a Nossa Senhora da Penha. Em 1868 o corpo da igreja foi edificado e a Capela Mor reparada. Novas ampliações foram realizadas entre 1914 e 1916 e também entre 1953 e 1968. Todas essas reformas resultaram num estilo barroco-gótico. A igreja de Nossa Senhora da Penha possui ainda magníficos vitrais retratando a vida de cristo e pinturas do Indiano Diwali.
Rota Imperial -Fazem parte da Rota Imperial 17 municípios de Minas Gerais e 14 do Espírito Santo. São eles: Castelo, Conceição do Castelo, Cariacica, Domingos Martins, Iúna, Ibatiba, Ibitirama, Irupi, Muniz Freire, Viana, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Venda Nova do Imigrante e Vitória. Aqui destacamos:

Castelo


Castelo está localizado no Sul do Espírito Santo. Cercado de montanhas e cachoeiras, possui clima ameno, que varia entre 23º e 5ºC no inverno. Sua população é formada em sua maioria por descendentes de italianos.
Atrativos turísticos:
Santuário de Aracuí/Santuário Imaculada Esposa do Espírito Santo. No local já teriam acontecido três aparições de Nossa Senhora. O santuário recebe mais de três mil visitantes por mês, mas a data de maior movimento é o dia 13 de maio. Lá existem vários monumentos em mármore. A imagem de Cristo em um tablado de madeira, a imagem da Imaculada e um terço gigante de madeira na árvore onde teria acontecido o milagre.
Rampa de Ubá: localizada a 27 km da sede do município, possui 902 metros de altitude, cujo acesso está parcialmente pavimentado, proporcionando uma belíssima paisagem. Os voos de parapentes sobre as imponentes montanhas e precipícios, o pico do Forno Grande, a Pedra do Dedo e a Cachoeira da Prata, se fundem num só cenário. Ubá pode ser considerada uma das melhores e mais belas rampas de voo do mundo.
Fazenda da Prata: é um centro agropecuário. Além de explorar jazidas de calcário, seu principal atrativo natural é uma cachoeira de mais de 100 metros de queda dágua, que forma uma imagem deslumbrante e transforma o local em um dos principais cartões postais da cidade.
Gruta do Limoeiro: situada a 15 quilômetros do centro de Castelo, possui vários salões internos e é considerada a mais importante do Estado, por causa de sua profundidade e de suas formações rochosas de beleza inconfundível. Em 1984, foi tombada como Patrimônio Histórico do Espírito Santo, pelo Conselho Estadual de Cultura. Considerada um sítio arqueológico, foi alvo de vários estudos. Uma das equipes, formada por pesquisadores da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e coordenada pelo antropólogo Celso Perota, encontrou 11 esqueletos de homens que viveram há, aproximadamente, 4.500 anos. Descobriu-se que desde o ano de 1.200 a Gruta do Limoeiro foi habitada por índios. No período colonial, teria sido habitada pela tribuno Puris.
Parque Forno Grande: criado em 31/10/60 como Reserva Florestal, passou a Parque Estadual do Forno Grande em 1998, objetivando a conservação da fauna e flora locais. O Parque Estadual do Forno Grande (PEFG) protege o segundo maior ponto culminante do Espírito Santo, o Pico do Forno Grande, com 2.039m, que compreende uma área de 730 hectares. O local possui grande riqueza biológica. Sobre os musgos das pedras proliferam espécies raras de orquídeas e bromélias. No local vivem espécies de animais em extinção, tais como a jaguatirica e o macaco mono carvoeiro.
Trilhas: as trilhas da Cachoeira, da Gruta da Santinha, dos Poços Amarelos e do Mirante da Pedra Azul cortam a Mata Atlântica e levam aos mirantes naturais, pontos de elevadas altitudes, onde se tem uma ampla vista panorâmica. No percurso, o visitante poderá banhar-se nas cachoeiras e piscinas naturais.

Fonte: http://www.es.gov.br/

Nenhum comentário:

Jogo Pacman