domingo, 8 de abril de 2012

Projetos prevêem nova cara para a Grande Vitória

Mudanças grandiosas, e até inusitadas, prometem mudar a região nos próximos anos

Nos próximos anos, a população da Grande Vitória vai presenciar uma verdadeira transformação na paisagem urbana das cidades. Se as megaconstruções prometidas pelo Governo do Estado e prefeituras realmente saírem do papel, o Espírito Santo terá projetos dignos de países desenvolvidos, que vão influenciar, principalmente, a mobilidade urbana e incentivar o turismo.

Entre os projetos, há teleféricos e marinas para receber navios de cruzeiro, túnel submerso sob a Baía de Vitória, píer flutuante no Penedo, Quarta Ponte, nova rodovia, aeroporto, centros culturais... Enfim, construções que devem mudar a “cara” das cidades.

Para a mestre em Arquitetura e Urbanismo e professora da Faesa, Patrícia Stelzer, toda obra, por mais grandiosa que seja, sempre traz críticas embutidas. “Uma obra não causa impacto paisagístico apenas naquela cidade onde ela está instalada. É um conjunto. Por isso, deve-se sempre analisar os impactos visuais e modificações territoriais que elas causam, até como forma de respeitar a identidade de cada lugar”, diz.

Para ela, todo projeto que demanda investimento tecnológico e financeiro deve trazer benefícios coletivos, senão eles acabam se tornando um passivo para as cidades. Confira como a Grande Vitória deve ficar após todas essas intervenções previstas.
Projetos Grande Vitória
Mudanças na mobilidade

Para o secretário estadual de Transporte e Obras Públicas, Fábio Damasceno, todas os grandes projetos previstos para a Grande Vitória têm como objetivo principal preparar as cidades para o crescimento populacional, por meio de um plano de mobilidade.

“Precisamos melhorar a movimentação de pessoas e cargas. Por isso, esses projetos são importantes para a mobilidade urbana”, diz Damaesceno, citando a questão da modernização da cidade, já que os projetos e intervenções trazem conceitos diferentes de engenharia e arquitetura.

“Nossa prioridade é o transporte coletivo, como o corredor exclusivo. Pelo ponto de desenvolvimento, é o momento certo de investirmos. São projetos caros, mas tentamos trazer o menor impacto urbano. São obras estruturantes, acabando com os gargalos. É uma mudança radical no conceito de mobilidade”, define o secretário.

Vila Velha: píer no Penedo

Vila Velha vai ganhar vários projetos diferentes, principalmente para atrair turistas. É o caso do teleférico que ficará no Morro do Moreno. No local, haverá um centro de vivência. O outro teleférico ficará na Barra do Jucu, passando pela Reserva Ecológica de Jacarenema, com 1,5 Km de extensão.

“Fizemos um estudo e diagnosticamos algumas carências. Passamos por um momento de grande mudança de perfil de moradores. E são eles que demandam produtos diferenciados, como esses projetos”, defende o secretário de Desenvolvimento Urbano, Henrique Casamata.

A cidade também deve ganhar uma marina para receber navios de cruzeiros, na Prainha. “Queremos construir também um centro de convenções maior, que vai abrigar exposições e sala de teatro”, diz o secretário.

No Penedo, deve ser construído um píer flutuante com restaurante para turistas.

Serra: cidade interligada

Na Serra, o arquiteto Oscar Niemeyer foi o responsável por desenhar um projeto moderno do Museu Metropolitano, que vai ficar em Civit, e terá espaço para show, sala de teatro e até um centro de convenções. “É um projeto que já visa ao crescimento e potencial daquela região, que vai abrigar prédios e shoppings”, diz a secretária de Desenvolvimento, Ana Márcia Erle.

Para ela, no entanto, o grande impacto visual na cidade virá com o projeto Serra do Futuro, do arquiteto Jaime Lerner. Ele desenhou uma cidade toda interligada, desde o Mestre Álvaro até as praias. “O modelo prevê ciclovias, passarelas e integração com lagoas, campo e cidade. As pedreiras abandonadas, por exemplo, ganharão palcos para shows”, explica.

Outras intervenções grandiosas são a revitalização de Laranjeiras e a construção do Contorno do Mestre Álvaro, fazendo com que a BR 101 vire apenas uma avenida.

Confira detalhes de alguns projetos

Vila Velha

A prefeitura quer instalar um teleférico no Morro do Moreno, com centro de vivência e trilhas. O equipamento sairia de uma área cedida pelo Exército.

O outro teleférico ficaria na Barra do Jucu. Ele sairia do novo Shopping Barra Sol e iria até a Barra do Jucu, passando sobre a Reserva Ecológica de Jacarenema. Teria 1,5 Km.

Outro projeto é revitalizar o Parque da Prainha, com a construção de um deque, campo, marina e restaurante no local. A ideia é que navios de cruzeiros também passem no local.

Na área da Praia da Costa, estão previstas a construção de uma marina para até 100 embarcações na Praia do Ribeiro, além da revitalização do Farol Santa Luzia.

Próximo ao futuro Shopping Boulevard, a prefeitura quer implantar um Centro de Convenções com 18 mil metros quadrados e teatro para até 1,6 mil pessoas. O local abrigará exposições também.

Apesar de ser contemplado por quem passa por Vitória, o Penedo pertence a Vila Velha. No local, a prefeitura pretende instalar um píer flutuante, com restaurante e centro de vivência.

Vitória

O caso do novo Aeroporto de Vitória já virou novela, mas a intenção é transferir o desembarque de passageiros para o lado da Avenida Adalberto Simão Nader, que será ampliada. O aeroporto terá um grande centro de exposições.

A Avenida Leitão da Silva também será reestruturada: projeto prevê uma ciclovia no canteiro central, com largura média de 2,5 metros. No projeto, os pontos de ônibus ficarão 400 metros um do outro para o trânsito fluir melhor.

A Avenida Serafim Derenzi será reformada. O projeto amplia a via em três faixas por sentido, da Avenida Maruípe até a Pedreira Rio Doce. Os estudos indicam a necessidade de dois túneis (cada um com até 500 metros) por sentido, a fim de reduzir o trajeto em um 1km e melhorar a fluidez do tráfego. A via teria ciclovia e calçada de 3 metros de largura.

A Avenida Adalberto Simão Nader estuda ampliar a via, que teria três faixas por sentido, baias de ônibus, calçada cidadã e ciclovia com três metros de largura.

O Governo do Estado chegou a elaborar um projeto para construir um túnel submerso, sob a Baía de Vitória, ligando a Capital a Vila Velha, saindo da Avenida Beira-Mar. Também com a intenção de melhorar o trânsito.

As obras do Cais das Artes, maior empreendimento cultural do Governo do Estado, estão bem devagar. A obra não será mais inaugurada neste ano. A construção, na Praia do Suá, que reunirá um museu e um grande teatro de 1.300 lugares, foi interrompida com o fim do contrato da empresa mineira Santa Bárbara Engenharia, pedido pela própria construtora.


Cariacica

O Trevo da Ceasa está sendo construído e deve melhorar o tráfego na região.

A Quarta Ponte ligará Cariacica e Vitória e deve melhorar o fluxo de veículos entre as duas cidades. Também seria ligada ao corredor exclusivo de ônibus e terá faixa de pedestre e ciclista.

Serra

O Museu Metropolitano (foto) ficará na rotatória de Civit. O projeto, feito pelo famoso Oscar Niemeyer, terá espaço para exposição, teatro e shows ao ar livre e funcionará também como centro de convenções.

No Projeto Serra do Futuro, elaborado pelo renomado arquiteto Jaime Lerner, a cidade será toda integrada, com ciclovias e passarelas, e passando, inclusive, por lagoas. O projeto vai modificar o visual desde o Mestre Álvaro até as praias. A ideia é preservar, também, as áreas verdes. Nas pedreiras abandonadas, a prefeitura construirá palcos para eventos.

O Contorno do Mestre Álvaro é considerado o grande projeto de modificação de paisagem da cidade. Com ele, a BR 101 se transformaria na Avenida Mestre Álvaro, virando uma via de integração, e terá prédios mais altos e shoppings. Pelo projeto, a BR passará por trás do Mestre Álvaro.


Nenhum comentário:

Jogo Pacman