sábado, 28 de abril de 2012

Origem de Guarapari ES Historia

Nas regiões de Guarapari e Meaípe, no Espírito Santo, foram investigados os níveis externos de radiação a que estão expostas as populações e a possível incorporação de elementos radioativos em vegetais e alimentos que crescem na região. Inclui-se também a presença de gases radioativos e poeiras na atmosfera, seja no interior das casas, nas ruas ou nas praias.

A população local está exposta quase que exclusivamente à irradiação externa, proveniente do minério contido no solo, já que a incorporação de elementos radioativos nos vegetais é praticamente desprezível. Mas os níveis de radioatividade na atmosfera também se situam em valores muito baixos. Estes estudos permitiram concluir que a radioatividade ambiental na região de areias monazíticas provoca irradiação muito pequena nas populações ali localizadas, não oferecendo possibilidade de qualquer dano biológico aos indivíduos que ali residem ou permanecem por longos períodos.

Estudos Realizados pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro sobre radioatividade Guarapari – E. Santo

Em outubro de 1965 e julho de 1966, alguns habitantes da cidade de Guarapari prontificaram-se, amavelmente, a cooperar numa série de experiências destinadas a medir à radioatividade no corpo humano.

Foram feitos quatro tipos de experiências: a primeira para medir a radioatividade do ambiente nas ruas e nas praias; a segunda para medir a radioatividade externa que os habitantes de Guarapari recebem em sua vida cotidiana e as duas últimas para medir a radioatividade no corpo humano.

Os dados são os seguintes: as medidas da radioatividade do ambiente foram feitas com câmara de ionização e cintiladores. Os dados são apresentados nas tabelas 1 (ruas de Guarapari) e 2 (praias de Guarapari).

As medidas da radioatividade externa que os habitantes recebem na sua vida cotidiana foram feitas com dosímetros de fluoreto de lítio, colocados nos escapulários do Coração de Jesus pelos P.P. Jesuítas, professores daquela Universidade que visitavam anualmente a cidade.

As experiências mostraram que as doses recebidas variavam entre 200 à 3.200 milliroentgen por ano, o que apesar de seu valor aparentemente alto, está muito abaixo da dose mínima permissível que é por volta de 180 millitroentgen por semana.



Medidas nas ruas de Guarapari

Rua
Milliroentgen/hora
Da praça Gov. Bley até Hotel Radium
0,093
Do Hotel Radium até o final
0,130
Rua Pedro Caetano
0,076
Rua Henrique Coutinho
0,073
Rua Getúlio Vargas
0,064
Pça. Jerônimo Monteiro
0,102
R. Sizenando Mattos Bourguignon
0,057
R. Holdar de Barros Figueira
0,056
Travessa entre H. Coutinho e G. Vargas
0,037
Pça. da Conceição, Sul
0,030
Pça. Da Conceição Norte
0,162
Travessia Pça. Da Conceição
0,031
Travessa Gonçalves dos Santos
0,027
Travessa Delfino Santana
0,070
Travessa Augusto Mattos
0,069
Rua Dr. Silva Mello
0,050
Rua Simplício de Almeida Rodrigues
0,043
Entre Praça Jerônimo Monteiro e Ponte
0,046
Rua Aristides Navarro
0,052
Estrada Anchieta
0,050

Medidas nas Praias de Guarapari

Praias do Norte
Milliroentgen/hora
Próximo à rua
0,135
A meia distância
0,120
Próximo à água
0,037
Areias pretas
1,350
Praias do Sul
Milliroentgen/hora
Próximo água
0,185
Próximo a rua
0,070
A meia distância
0,090
Areias pretas

2,000

Nenhum comentário:

Jogo Pacman